Posts tagged o casamenteiro

É tudo santo

Quando quis criar o meu blog precisava de um codinome, para manter a minha real identidade em sigilo. Pode parecer idiota, mas tenho os meus motivos profissionais para isso. Como já tinha dito num dos primeiros posts o nome “O Casamenteiro” me ocorreu quando estava andando de coletivo. Fiz uma pesquisa rápida na internet e não achei nada parecido. Mas agora estou convencido de que pesquisei mal. Encontrei dois blogs de casamento, criados antes do meu, e que tiveram a mesma inspiração: Santo Antônio.

E como o que não tem remédio, remediado está, vo, com muito prazer recomendar a todos os meus leitores. Clique na imagem para ser redirecionado para os blogs.

Salve Santo Antônio

O Santo Casamenteiro

 

Anúncios

Leave a comment »

Eu voltei, agora para ficar…

Bom dia a todos e a todas. Eu voltei, agora para ficar…

Eu voltei, agora para ficar...

Depois de passar uma temporada afastado do Blog devido a alguns compromissos acadêmicos, estou de volta. Cinco dias antes do previsto, e isto me deixa muito feliz, pois significa que as coisas deram certo antes do que eu imaginava.

Hoje eu inauguro uma nova fase em meu Blog: de mais dedicação, beleza, qualidade e focadíssimo no que nós mais gostamos, ou seja, Casamento.

Por uma questão de ego, também criei a categoria Resultados, onde vou comemorar cada vez em que uma meta, como por exemplo número de acessos, for atingida. Minha próxima meta é atingir os mais de 100 acessos diários. Quando sai de férias o pico tinha sido de 205 visualizações em um único dia.

Também mudei um pouco a organização das categorias. Creio que vai ficar mais fácil. Mudar é preciso e eu gosto!

Vamos ao que viemos, porque aqui não é nosso descanso!

“Eu voltei, agora pra ficar,
Porque aqui, aqui é o meu lugar
Eu voltei, pras coisas que eu deixei,
Eu voltei, eu voltei”

Música: O portão / Composição: Roberto Carlos

Leave a comment »

Santo Antônio, o casamenteiro

Como prefiro manter minha real identidade em sigilo, precisava de um codinome. E andando de coletivo me ocorreu: O Casamenteiro. Adorei no ato e fazendo pesquisas no Google, perciba que estava sendo quase original.

Para descrever um pouco sobre o padroeiro deste blog, que tem dia comemorativo e santo em junho, vou recorrer a um texto escrito por Andreia Santana e postado no blog Conversa de Menina. Daqui para baixo é Ctrl+C/Ctrl+V:

Santo Antônio

“Moça casadoira que quer arrumar um bom marido reza para Santo Antonio nos 13 primeiros dias de junho”. Essa máxima vale desde o tempo das nossas avós e embora hoje em dia as mulheres tenham outras ambições na vida que completem a estabilidade do relacionamento amoroso, não tem como deixar de falar de Santo Antonio, principalmente porque no Brasil o Dia dos Namorados acontece na véspera da data consagrada ao padroeiro das casamenteiras. Mas, por que será que Santo Antonio, um frade franciscano que viveu no século XI, em plena Idade Média de casamentos arranjados, e morreu solteiro aos 36 anos – até porque sua ordem religiosa praticava o celibato – acabou virando patrono dos que querem juntar as escovas de dentes? A explicação não é cientificamente comprovada, mas diz a lenda que o irmão Antonio era um exímio conciliador de casaes. Rolou barraco em casa, marido e mulher estão sem se falar, chamavam Antonio para dar uns conselhos e batata! Os pombinhos voltavam a arrulhar.

A fama de conselheiro sentimental de Santo Antonio existe até hoje e, como religião, principalmente no nordeste brasileiro, sempre esteve intimamente ligada a superstições, em pouco tempo as moças dispostas a abdicar da solteirice começaram a realizar diversas simpatias ligadas a fé no padroeiro. As receitinhas atravessaram gerações e nas noites juninas enluaradas do sertão servem de pretexto para divertidas reuniões de amigas, todas afoitas em testar o destino e descobrir se no tronco da bananeira ou no pires cheio d’água estará o nome ou a inicial do seu futuro amor (Mais abaixo você encontra algumas dessas simpatias. Pode testar sem susto ou vergonha, e de preferência convide outras amigas. No mínimo, vocês darão muitas risadas).

Mas, nem só de casamentos vive o milagreiro Antonio. Por ser frade franciscano, o que significa que ele era seguidor de São Francisco de Assis, também é considerado padroeiro dos pobres. Os franciscanos faziam voto de pobreza e tinham por hábito compartilhar com mendigos e miseráveis tudo o que recebessem como doação pia ou esmola. A caridade e a solidariedade são premissas básicas da ordem, sendo que os dois franciscanos que levaram essas lições mais a termo foram justamente o próprio Francisco e seu discípulo Antonio. Além disso, e segundo minha avó – devota ferrenha – ele também é um ótimo auxiliar para resolver aquelas questões de difícil solução. O “valhei-me meu Santo Antonio” nunca deixou dona Maria Da Paz (minha avó) na mão. Confesso que em momentos em que precisei de uma forcinha da Providência, as orações dela para Santo Antonio surtiram um efeito melhor que o esperado.

Mas, quem era esse homem a quem chamamos Santo Antonio?

Santo Antônio

Segundo a sua biografia, o nome dele não era Antonio, mas Fernando de Bulhões, filho de uma nobre casa portuguesa e nascido em agosto de 1195, em Lisboa. Alguns historiadores dizem que foi em 1191 – mas era difícil precisar datas de nascimento numa época em que não existiam cartórios de registro civil. Aos 15 anos, Fernando entrou para o convento, na ordem agostiniana, mas após se ordenar, decidiu tornar-se seguidor de Francisco de Assis e adotou o nome de irmão Antonio. Até hoje é comum os religiosos abdicarem de seus nomes de família e adotarem um nome novo, na igreja. Isso significa que abriram mão das “coisas do mundo” para se dedicaram a vida religiosa.

Por indicação de Francisco de Assis, o irmão Antonio tornou-se professor de teologia, ou seja, ensinava religião. Ele viajou diversos lugares do mundo com essa tarefa, pregando até no Marrocos. Se estabeleceu em Pádua, na Itália, nos últimos anos de vida. Morreu em 13 de junho de 1231 e foi canonizado apenas onze meses depois. Santo Antonio é considerado um dos doutores da igreja, pois era um dos santos considerados intelectuais. Além de praticar, também estudava e filosofava sobre a fé.

Maria Bethânia canta “Santo Antonio”, assista:

Simpatias de  Santo Antonio:

Santo Antônio

Esqueçam o ceticismo típico das sociedades modernas e por um minuto, transportem-se para o tempo das nossas avós. Imaginem aquelas meninas do interior, de vestidos floridos e tranças enfeitadas com flores, cheirando a água de colônia, e a expectativa que todas tinham de conhecer o amado durante a Trezena de Santo Antonio rezada na casa de uma vizinha ou mesmo na igrejinha da vila. A diversão delas era trocar simpatias para arrumar marido. Se você é do tipo que acredita em simpatias, eis algumas que reunimos com nossas tias e mães. Mas por favor meninas, nada de torturar o coitado do Santo Antonio pendurando-o de ponta cabeça!

>>Para descobrir o nome do futuro companheiro, a dica é comprar um facão  e, à meia-noite do dia 12 de junho, cravá-lo numa bananeira. O líquido que escorrer da planta deve formar a letra do futuro amor. O facão não pode ser usado, precisa ter a lâmina virgem.

>> Para descobrir o futuro companheiro, é preciso escrever os nomes dos candidatos em vários papéis. Um deles deve ser deixado em branco. À meia-noite do dia 12 de junho, eles devem ser colocados em cima de um prato com água, que passará a madrugada ao relento. No dia seguinte, o que estiver mais aberto indicará o escolhido. Se o papel em branco amanhecer aberto, já sabem né, a menina não vai casar!

>> Outra dica que segundo minha tia é batata,  é ir a um casamento e dar de presente aos noivos uma imagem de Santo Antônio, pedindo ao santo que assim como uniu aquele casal também te arrume uma cara metade. Essa simpatia só dará certo para meninas de muita fé!

>> Quem já tem namorado, mas enrola mais que o Pato Donald (eterno noivo da Margarida), a dica é pegar um fio do seu cabelo, amarrar num fio do cabelo do amado e depositar a prenda aos pés de Santo Antonio. Se o seu namorado é do tipo que corta o cabelo como se estivesse no exército, creio que você terá problemas para realizar essa simpatia.

>>À meia-noite do dia 12 de junho, quebre um ovo dentro de um copo com água e o coloque no sereno. No dia seguinte, interprete o desenho que se formou. Se aparecer algo semelhante a um vestido de noiva, véu ou grinalda, o casamento está próximo.

>>Para a pessoa saber se o futuro companheiro será jovem ou mais velho, é preciso arranjar um ramo de pimenteira. De olhos fechados, ela deve pegar uma das pimentas. Se a escolhida for verde, ele será jovem. Caso contrário, o casamento acontecerá com alguém mais velho.

>>Para casais brigados fazerem as pazes é preciso pegar um cravo e uma rosa. Os talos devem ser amarrados juntos com uma fita verde, na qual serão dados 13 nós. Durante o procedimento, o devoto deve pensar que Santo Antônio vai uni-los outra vez.

>>Para descobrir se falta muitos anos para o seu casório, na véspera do dia 13 de junho, à meia-noite, amarre uma aliança – que pode ser de qualquer parente – numa linha ou num fio. Coloque um copo sobre a mesa e segure o fio de modo que a aliança esteja dentro do copo. Pergunte, então, quantos anos faltam para o seu casamento. O número de batidas informa quantos anos ainda restam para o Dia D. Não vale balançar o fio. Mais uma vez, se não houver nenhuma batida, já sabe que casamento não é para você.

Para ler direto na fonte e ver mais alguns detalhes clique AQUI.

Comments (1) »

Olá!

Muito feliz! Finalmente coloquei no ar mais um de meus projetos. Preparando para os próximos posts, pois são tantas idéias que tenho até medo de me perder. Mas que vamos que vamos e ao que viemos.

Dando créditos a quem merece, a atual foto do cabeçalho foi feita pelo talentoso  fotógrafo Anderson Miranda. O casal em questão é Rafael e Gabriela, que fizeram este Trash the Dress (especialidade do fotógrafo em questão) na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro.

Gabriela e Rafael por Anderson Miranda

Para acessar o ensaio completo clique AQUI.

Leave a comment »